Como proteger sua lista de Spam Traps

Já foi explicado neste blog, no post Spam Traps e Honey Pots e seu impacto na entregabilidade de E-mail Marketing, que endereços de e-mails antigos e/ou abandonados podem ser transformados em endereços Spam Traps e, por isso, manter a base higienizada baseada em engajamento é muito importante. Além disso, existem outras más práticas que podem resultar em spam traps na lista de endereços:

• O endereço de e-mail faz parte uma lista comprada;
• O endereço de e-mail foi obtido através de um e-mail harvesting, sem consentimento/permissões dos donos dos mesmos;
• Alguém  sem intenção ou de forma maliciosa fez opt-in na lista;

Existem diversas práticas proativas para prevenir enviar e-mails para spam traps e, consequentemente, entrarem em blacklist:

• Deixar o optin mais seguro, através do uso de Captcha no formulário ou o uso double opt-in (enviar um e-mail após o opt-in pedindo que o destinatário clique no mesmo para a confirmação);
• Garantir que o sistema de bounces do seu serviço de e-mail esteja funcionando propriamente e tirando os endereços de e-mail que tiveram bounce da lista;
• Garantir que o link e a funcionalidade de opt-out estejam funcionando corretamente;
• Não tentar “esconder” o link de opt-out na sua peça. Deixe-o claro e proeminente para facilitar que os destinatários possam sair da sua lista e, por consequência, não sinalizar a mensagem como spam;
•  Incluir no e-mail enviado um link com as políticas de privacidade do remetente para destinatários poderem consultá-lo e entender se estão dispostos ou não a aceitá-lo;
• Monitorar métricas, principalmente as taxas de reclamação, bounces e qualquer uma que venha a ter um comportamento fora do comum;
• Evitar enviar e-mails para endereços genéricos como, por exemplo, comercial@ e contato@. Estes endereços, normalmente, não são indivíduos mas endereços de departamentos ou funções. E ainda, endereços como postmaster@ e mailer@ são usados para uso dos ISPs para gerir bounces e outras operações, ou seja, também não são indivíduos.
•  Apenas enviar e-mails para destinatários que são engajados, ou seja tirar da lista os indivíduos que não abriram ou clicaram em nenhum e-mail nos últimos 6 a 12 meses. Eles devem ser tratados como inativos ou incluí-los em uma programa de reengajamento. Também notificar sempre os indivíduos que estão sendo removidos da lista, dando a chance deles poderem afirmar que querem continuar recebendo os e-mails. Uma forma eficaz de reativá-los é oferecer algum tipo de desconto, promocode, frete grátis ou algum outro estímulo. Além disso, é importante guardar sempre o horário e data do momento que o cliente fez ou refez o seu opt-in para ter como garantia em alguma reclamação que ele possa fazer.

Respeito às boas práticas e respeito à lista através de práticas simples e de bom senso, portanto, são as formas mais indicadas para garantir que spam traps não sejam incluídos na lista. No entanto, caso isso ocorra ações rápidas e pontuais descritas neste post podem ajudar a rapidamente identificá-los e excluí-los.

douglasgarcia96

Deixe uma resposta

Se inscreva para receber nossas novidades.
%d blogueiros gostam disto: