OTAs servem para buscas, sites de hotéis para reservas

18/07/16

Quanto mais hotéis oferecerem descontos para reservas diretas, mais cedo cairá a velha regra de que os intermediários oferecem os melhores preços. E provará que o efeito billboard é mais válido do que nunca.

O combate

As redes hoteleiras estão combatendo fortemente a intermediação ao oferecer tarifas especiais, com desconto, para os consumidores leais reservarem diretamente, são as member rates, assunto que já havíamos abordado anteriormente.

Os contratos que os hotéis assinam com os intermediários, muitas vezes os impedem de oferecer tarifas mais baixas em seus próprios sites, no entanto as  redes hoteleiras afirmam que são livres para oferecer descontos aos membros de seus programas de fidelidade.

No passado, a maioria dos programas de fidelidade ofereciam apenas vantagens como wi-fi gratuito, upgrades de quartos e recompensas de pontos. Este ano, os hotéis começaram a oferecer as tarifas com desconto.

As vitórias

Ainda neste julho de 2016, a Choice Hotels International irá introduzir um desconto de até 7% apenas pra membros de seu programa Choice Privileges que reservarem em seu site ou aplicativo. Todos os 27 milhões de participantes são elegíveis.

Desde abril deste ano, os membros do Hyatt Gold Passport estão aptos a um desconto de até 10% para reservar em qualquer um dos canais diretos da rede e se hospedarem nos EUA, no Canadá ou na Austrália.

Iniciativa semelhante está sendo realizada pela francesa Accor, com seu Le Club e as tarifas online OnlyON.

Também há pouco a Marriott International introduziu o Marriott Rewards Member Rates,  reduzem o preço das tarifas em até 2% durante a semana e, pelo menos, 5% em fins de semana para os membros que reservam diretamente no Marriott.com, no app da marca, nos call centers ou através de profissionais de viagens corporativas.

“Lançamos o Member Rates para prover um benefício exclusivo para os clientes que optam por ter uma relação mais estreita com as nossas marcas e hotéis”, diz Drew Pinto, vice-presidente de distribuição da Marriott. Além dos descontos on-line, os membros garantem ainda wi-fi grátis e check-in e check-out mobile.

Todos esses esforços visam às agências de viagens on-line (OTAs), que cobram comissões para que os hotéis apareçam em seus sites. As empresas hoteleiras ainda não elaboraram os termos de suas relações com as OTAs mas afirmaram que as member rates não significam que eles irão parar de trabalhar com empresas como a Expedia e Priceline.

“As OTAs desempenham um papel importante no mercado, e continuamos a ter relações produtivas com esses parceiros”, diz Ellen Lee, vice-presidente sênior de digital do Hyatt. “OTAs nos ajudam a introduzir as marcas Hyatt para novos clientes e aqueles que não são suscetíveis a construir um relacionamento leal com a marca.”

O que as OTAs acham disso?

Melissa Maher, vice-presidente sênior do Grupo de Parceiros Globais para a Expedia, diz que, ao oferecer uma grande variedade de tarifas vinculadas à fidelidade, as redes hoteleiras tornaram o processo de reserva mais complicado para os consumidores.

“É realmente colocar o consumidor em uma posição onde eles têm que gastar muito mais tempo pesquisando e comparando em sites diferentes”, diz ela.

A Expedia, afirma Maher, permite aos consumidores comprarem todos os itens de sua viagem, de diversos fornecedores, em um só lugar. A empresa, diz ela, ajuda aos hotéis com tecnologia, dados, marketing e aquisição de clientes. Em 2015, os sites da Expedia, que incluem Hotels.com, Travelocity, Orbitz Worldwide e alguns outros, atraiu mais de 450 milhões de visitas mensais em mais de 75 países.

E no final, quem ganha a batalha?

Como havíamos comentado, OTAs podem ser armas ou armadilhas, dependendo da dose. Com esse combate acontecendo, quem ganha mesmo é o viajante, que acaba conseguindo o melhor preço.

Referências:

Hotelmarketing.com

USA Today

Nasdaq

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.