(Português do Brasil) Spam Traps e os Honey Pots e seu impacto na entregabilidade de E-mail Marketing

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

A constante luta entre os spammers e os ISPs (Internet Service Providers) acaba impactando as marcas que buscam fazer um bom uso do e-mail marketing para interagir com seus clientes.

Os ISPs sofrem mais do que o próprio usuário do serviço de e-mail com o spam, já que banda, processamento e armazenamento são os principais pilares de custo de qualquer empresa dessa natureza. São eles que precisam processar e gerir todo o gigantesco tráfego de dados de e-mails que não são sequer lidos por cada usuário que, na maioria das vezes, nem paga por este serviço.

O que é uma Spam Trap (armadilha para spammers)?
Por definição, spam trap é um endereço de e-mail de algum provider que nunca clica e nem abre os e-mails recebidos, ou seja, não tem nenhum nível de engajamento com os e-mail recebidos. Existem dois tipos básicos de spam traps, são eles:

Endereços Honey Pots (iscas): endereços de e-mail que são criados e espalhados na web em formulários de websites, fóruns, etc esperando serem capturados por spammers.
Endereços Reciclados: endereços de e-mail que alguma vez pertenceram a um usuário, mas foram abandonados ou descartados por ele. Passado um tempo eles são reativados e monitorados para identificar quem continua enviando comunicações a eles.

Um case prático de um spam trap é descrito pelo Hotmail da seguinte forma:

O José deu a permissão para receber newsletter de uma empresa há mais de um ano com o seu endereço de e-mail @hotmail. Desde então, ele decidiu que não quer mais receber ter este endereço de e-mail e, por alguns meses, não faz mais login na sua conta, mas continua recebendo e-mails.

Despois de alguns meses sem o José interagir com sua conta, o Hotmail decide encerrá-la e ele, por conseguinte, não poderá mais acessá-la. Qualquer e-mail que ele receba após esta ação tomada pelo Hotmail se tornará um hard bounce (erro de envio) e o remetente receberá tal comunicação. O remetente, ao receber esta comunicação, seguindo as boas práticas, deve retirar o José da sua lista de envios.

Após mais alguns meses, o Hotmail decide reativar a conta do José, que passará a não comunicar erros ao remetente novamente. Está feito o spam trap. Essa conta não clicará e nem abrirá os e-mails, fazendo com que caiba ao gestor das campanhas identificarem isso e tratarem a qualificação das suas bases orientadas a engajamento.

O princípio básico do e-mail marketing para os ISPs se resume, portanto, a enviar a comunicação a quem não só disse quer recebê-la, mas a considera relevante e interage com ela – ou seja, visualiza, clica e encaminha os e-mails. Sendo assim, os gestores de marketing devem estar sempre atentos a qualidade da sua lista e as interações dos remententes as campanhas, não só para aumentar o engajamento, mas para aumentar e melhorar a entregabilidade.


Consulte mais sobre o tema:

Microsoft Smart Network Data Services:
https://postmaster.live.com/snds/FAQ.aspx#TrapHits

Spamhaus FAQ:
http://www.spamhaus.org/faq/section/Glossary#169

douglasgarcia96

24 Comments

Leave a Reply

Se inscreva para receber nossas novidades.
%d bloggers like this: