Disrupting the Disruptors

12/12/18

No começo do mês de dezembro a rede Marriot, anunciou o vazamento de dados de meio bilhão de seus hóspedes. Essa base era da Starwood, grupo hoteleiro que foi adquirido pela Marriot em 2016 por 13 bilhões de dólares, os hackers tiveram acesso aos dados dos hóspedes registrados desde 2014. Ironicamente um dos argumentos de venda da Starwood para Marriot era a sua tecnologia..

Um ponto que provavemente será bastante discutido durante as próximas semanas a cerca deste vazamento é o termo em inglês Indemnity, uma obrigação contratual em aquisições que cria uma reserva financeira, com uma porcentagem do valor da compra (algo entre 10 e 18%), para caso hajam problemas como este.

Um gigante que está (ou deveria estar) tirando o sono de empresários do setor hoteleiro: Airbnb. Atualmente a companhia recebe mais de 44 milhões de visitantes por mês em suas plataformas, isto é mais do que Marriot e Hilton combinadas (39 milhões). É também o 4º aplicativo de viagem mais utilizado, apenas atrás de Uber, Lift e Yelp.

Este ano eles lançaram dois produtos: o Airbnb Plus – Que seleciona suas melhores propriedades disponíveis na região e o Airbnb Experience – Para reserva de atividades com mais de 5.000 opções que podem ser reservadas no aplicativo.

Uma pesquisa da Garner L2 aponta que 50% do tráfego orgânico da Airbnb advém de buscas como “O que fazer em: nome da cidade de interesse”. Esta visibilidade permite que a empresa concorra pelo tráfego que geralmente é de outras grandes “disruptors” como TripAdvisor e CNN travel.

Ou seja, os “Disruptores” não só estão disruptindo a indústria tradicional como também “disruptindo os disruptores”, mais espeicifcamente, TripAdvisor.

Como o mercado urge a necessidade de renovação constante, as empresas por mais novas e disruptivas que sejam, precisam ficar muito atentas à quem surge.

Atualmente a Airbnb vale 31 Bilhões de dólares e espera-se que o este valor aumente muito no próximo ano com a expectativa de que a empresa abra seu capital.

Airbnb está apenas atrás da Uber em valor de mercado dentre os aplicativos de viagem, porém de acordo com Scott Galloway, a empresa de acomodações deve passar a gigante de viagens em breve, e porque? Aplicativos de mobilidade trabalham com a demanda local, enquanto Airbnb possui uma demanda global ou seja, a maioria das pessoas que vem de fora da cidade são de outro lugar.

De acordo com o espcialista, outra grande ameaça ao setor hoteleiro é a gigente de tecnologia Google, ele diz que “hotéis deveriam temer a ferramenta de busca da mesma forma que varejistas temem a Amazon”. Afinal eles detém as buscas que são feitas no mundo todo, Google Hotel Tools aparece em 99% das pesquisas do tipo “melhor hotel em: nome da cidade” ou buscas do gênero.

 

Fonte: Scott Galloway – Winners & Losers