A nova geração Nutella®️

29/04/20

Nos últimos anos, aqui no Brasil, quando se fala em Nutella, além do sabor incomparável do mundialmente famoso creme de avelã italiano, é impossível não vincular ao meme Geração Nutella versus Geração Raíz. Criado em 2016 em um perfil do Twitter, esse meme (crítica humorística sobre fato ou pessoa que foi notícia)  começou a fazer comparações, sempre carregando uma avaliação gourmetizada, com excesso de sofisticação e até um certo descolamento da realidade para a Geração Nutella. Isso se expandiu em 2017, virando até um complemento no verbete Nutella na Wikipedia em português. E esse é o entendimento que existe hoje sobre a geração Nutella.

Mas neste momento de isolamento, onde ao passo que evoluímos a quantidade de restrições que estamos vivenciando e entendemos o impacto econômico devastador que vamos enfrentar, irá surgir uma nova Geração Nutella, mas não vinculada ao excesso de sofisticação, ou bem longe da “gourmetização”. Uma geração que irá enfrentar os mesmos tipos de desafios que criaram o cenário no qual  Pietro Ferrero teve a ideia de criar a Nutella.

Foi a restrição ao cacau, em virtude do período após Segunda Guerra, que serviu de estímulo para que o confeiteiro italiano criasse um creme que juntava muita avelã, abundante na região em que vivia, de Piemonte, no norte da Itália, com um pouco do valioso chocolate. O produto foi evoluindo até que seu filho criou o famoso pote, aí sim já com o nome de Nutella. O seu neto o levou para o mundo, construindo o conglomerado que hoje é o segundo maior do mundo em sua área, com faturamento superior a USD 12 bilhões, atrás apenas da Nestlé.

É essa oportunidade que está diante de todos nós para a retomada econômica. Obviamente não esperávamos passar por uma crise que pode diminuir o tamanho da economia entre 4% ou até 10% mundialmente, segundo algumas estimativas menos otimistas, tampouco imaginávamos que, ao mesmo tempo que assistimos os carros voadores compartilhados começarem suas operações comerciais, uma pandemia viral ceifaria a vida de mais de 200 mil pessoas, até agora, no mundo, infectando mais de três milhões de pessoas.

Isso vai passar e provavelmente enfrentaremos muitos problemas de escassez. E esses problemas serão para todas as empresas de um mesmo setor. Assim como faltou cacau em 1946. Com o avanço das taxas de câmbio, produtos importados tendem a ficar mais raros e serviços na nuvem baseados em dólares terão seus preços elevados. Já os serviços nacionais ganharão terreno, assim como a exportação de serviço será muito bem paga.

Enquanto muitos sentiram a falta do cacau, essa limitação foi o que impulsionou a criatividade de Pietro Ferrero para dar início à um dos maiores grupos empresariais da Itália, qual limitação vai estimular a sua criatividade? Afinal todo mundo vai querer pertencer a essa nova Geração Nutella.

Esse texto foi escrito por Augusto Rocha, VP de marketing e vendas da Pmweb.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.