78% dos brasileiros que possuem smartphone preferem comprar por aplicativo

06/03/18

78% preferem comprar por meio de um aplicativo, ao invés dos navegadores para dispositivos móveis, quando as compras são feitas em seus smartphones. O número é acima da média global, de 71%.  A constatação é da pesquisa Mobile Payment Journey,  realizada através de parceria entre a Worldpay e Opinium Research, divulgada nesta segunda-feira,5, em São Paulo.

A pesquisa descobriu que 53% dos brasileiros ficariam satisfeitos em pagar mais por um produto, serviço ou viagem se a experiência do usuário for melhor, 12 pontos percentuais acima da média global (41%).

Juan D’Antiochia, general manager da Worldpay para a América Latina, explica que a pesquisa foi realizada com 3 grupos distintos: consumidores com ticket médio de compra até 20 reais; outro com valor médio de 50 reais, com exceção de supermercados  e artigos de luxo; e o de viagens e turismo, excluindo compras  de ingressos.

Para o primeiro grupo, o importante é que a experiência de compra seja rápida, como acontece com consumidores de games; o segundo privilegia uma boa experiência, disposto inclusive a pagar mais, se tiver bom atendimento; o terceiro, que envolve empresa aérea, hotéis e agências de turismo, além de boa experiência quer realizar a operação fim a fim através do canal mobile.

Além disso, entre as principais razões para que os brasileiros escolham aplicativos ao invés de navegadores estão benefícios como velocidade e simplicidade. “No entanto, a confiança do consumidor brasileiro ainda precisa ser conquistada”, ressalta D’Antiochia, acrescentando que “o comerciante que entregar a melhor experiência terá muito a ganhar já que os consumidores estão comprando produtos de maior valor via aplicativos. Com o avanço de novas tecnologias haverá espaço para assistentes virtuais e serviços conectados o que irá facilitar ainda mais a vida do consumidor. As marcas que oferecerem a melhor experiência de pagamento móvel, de forma rápida e segura, verão menos desistências nas compras, mais downloads dos aplicativos e, consequentemente, um maior volume de vendas dos seus produtos e serviços”.

Uma medida simples é informar o motivo pelo qual o pagamento, pois o consumidor faz várias tentativas com o cartão e fica sem saber o motivo da rejeição. Nesse caso acaba trocando de estabelecimento. “O brasileiro está gastando mais no comércio eletrônico. Isso é motivo de comemoração dos varejistas, mas ainda há demandas por parte dos consumidores que precisam ser atendida”, enfatiza o executivo. A pesquisa, no entanto, não envolve motivos de abandonos de carrinhos de compras.

Segurança

A pesquisa indica que dois terços dos brasileiros (63%) se sentem confiantes em fornecer dados biométricos, como impressões digitais ou o reconhecimento facial, se além de adicionar uma camada a mais de segurança, tornasse o processo de pagamento mais rápido.  Já 76% dos entrevistados afirmam que somente fazem download do aplicativo de marcas ou empresas que realmente confirmam número superior aos dados globais (71%).

Os consumidores brasileiros também têm confiança em deixar seus números de cartões em sites de e-commerce, processo chamado de tokenização, mas o executivo alerta que os sites devem ser confiáveis, embutindo ferramentas de PCI-DSS, SSL, para que o cliente tenha  certeza que ele é um site seguro. “As lojas devem buscar formas de implementar tecnologia biométrica como forma de aumentar a segurança e a confiança do consumidor na marca”, finaliza.

Pesquisa

pesquisa foi realizada em parceria com a Opinium que entrevistou 16 mil consumidores que compraram produtos no celular nos últimos 3 meses na Austrália, Brasil, China, Alemanha, Índia, Japão, Coréia do Sul, EUA e Reino Unido. No Brasil, o estudo entrevistou 1.510 consumidores.

 

Artigo extraído do TI Inside.