Melhorando o seu E-mail Marketing Mobile

email-marketingJá se foi o tempo em que era possível fazer uma campanha por e-mail onde todas as mensagens, de uma forma ou de outra, iriam acabar em um computador. Com o crescimento gigantesco dos smartphones, tal afirmação não é mais verdade. Para entender essa nova realidade é importante colocar-se na perspectiva do usuário de dispositivos móveis.

Vamos imaginar o Pedro, um usuário típico de smartphones. Ele tem seus 30 e poucos anos e comprou um iPhone nos últimos meses. Frequentemente usa-o para acessar seu Facebook, fazer upload de fotos das suas férias, produz tweets de temas que acha engraçado, vê a previsão do tempo, usa o browser para navegar, assiste a vídeos no Youtube, envia SMS para seus amigos e familiares e acessa seus e-mails. O detalhe interessante é que ele faz tudo isso enquanto caminha, anda de metrô, toma um café, caminha até o escritório e almoça.

É fácil perceber que sua mensagem disputa a atenção do usuário com vários aplicativos e funcionalidades do aparelho, além dos outros e-mails da  caixa de entrada dele. A verdade é que são tantos estímulos que nada consegue reter a atenção do Pedro por muito tempo, aliás, para conseguir um pouquinho da atenção dele, o estímulo já tem que ser muito bom. Esse é o novo cenário. Então, como fazer com que se conquistem esses momentos preciosos de atenção? A seguir, seguem três dicas que são facilmente implementáveis e servem pra qualquer um: 

#1 – O Pedro vai ler o seu Snipet

Quando o Pedro receber o e-mail no seu smartphone, ele vai ver em sequência três coisas. A primeira é o nome do remetente, a segunda é o assunto (subject line) e a terceira é o snipet. O snipet é composto pelas primeiras palavras que o corpo do e-mail possui de cima para baixo e da esquerda para a direita. Se o snipet não for bom, talvez será a única coisa que o Pedro leia do seu e-mail antes de apagá-lo.

O objetivo é fazer com que o destinatário abra o seu e-mail baseado no snipet e somado às outras duas variáveis: remetente e assunto. Usar frases curiosas, instigantes, caracteres especiais ou algo que combine o assunto com o snipet podem ser formas de alcançar tal objetivo.

 

#2 – O Pedro pode não conseguir ver o e-mail como ele deveria ser

Após abrir o e-mail, Pedro poderá se frustrar se o conteúdo não renderizar corretamente. Os dispositivos móveis usam conexões que nem sempre carregam todas as imagens e, muitas vezes, o design não foi pensado para ser visualizado em uma tela tão pequena. O tamanho do visor pode, muitas vezes, fazer com que o destinatário não consiga clicar em um link específico por estar muito próximo de outro.

A forma de lidar com este problema, na verdade, são duas. A primeira é usar serviços, como o da Return Path, que simula como o e-mail renderizará na maioria dos dispositivos, permitindo que o design seja adequado a esta realidade. A segunda (que não exclui a primeira) é o usar responsive design, que usa media queries de CSS, adequando o HTML da mensagem para o tamanho do dispositivo de forma automática. Diversos sites, atualmente, já utilizam a técnica para que o usuário consiga ter uma experiência adequada no computador, no tablet ou no celular e, agora, a tecnologia começou a ser aplicada em e-mails.

 #3 – O Pedro provavelmente não está com tempo sobrando

Se o nosso personagem estivesse em casa em seu momento de relaxar, provavelmente não estaria vendo seus e-mails em um celular. Em outras palavras, uma mensagem objetiva e direta é mais eficaz. Nessa lógica, o importante, além da mensagem estar clara logo no início, é necessário que também a ação esperada seja óbvia. Não é nem preciso dizer que o resultado do clique, seja uma landing page ou site, também precisa ser adequado a dispositivos móveis. Tanto no e-mail quanto na página de destino é importante ter em mente que se a mensagem reverberar com o Pedro, ele tem grandes chances de compartilhá-la na mídias sociais. Ou seja, dê também essa essa opção.

Em suma, o Pedro não é só mais um potencial cliente. Ele representa uma rede gigante que está toda conectada e age como um organismo vivo. Então, ao conseguir conquistar o Pedro no seu smartphone, um simples e-mail marketing pode virar algo muito maior, mas, claro, apenas se ele for feito de uma forma inteligente, interessante e usando as técnicas certas.

douglasgarcia96

Deixe uma resposta

Se inscreva para receber nossas novidades.
%d blogueiros gostam disto: