Mobile e-mail marketing: acerte nas campanhas

04/05/17

Entre todas as transformações que testemunhamos no comportamento do consumidor ao longo dos últimos anos, não há como negar o protagonismo do mobile. No e-mail marketing não poderia ser diferente: a participação do mobile vem crescendo e tomando o lugar do desktop como plataforma líder. Confira os dados que selecionamos para amparar seu planejamento estratégico.

A média de acessos à internet em dispositivos móveis ultrapassou o desktop em 2016 e esse é apenas o começo. A realidade do consumidor é omnichannel e não nos permite tratar os pontos de contato com a marca isoladamente. As marcas precisam estar onde o cliente está, na hora certa e com a mensagem certa. E para tirar o máximo proveito da estratégia multicanal, uma das ferramentas essenciais é o e-mail.

Inbox

Não há ferramenta mais valiosa do que o e-mail marketing bem executado: primeiro por sua tendência a gerar mais ROI do que qualquer outro canal digital, incluindo SEO e mídias sociais; segundo porque o e-mail pode amplificar a força de outros canais digitais, seja via campanha de abandono de carrinho ou redirecionando o cliente a vídeos nas redes sociais da marca.

Além disso, a plataforma é a mais completa quando falamos em pontos de contato durante a jornada do consumidor: desde a navegação no site até retenção e relacionamento. Campanhas automatizadas de lifecycle marketing que acompanham o cliente em sua trajetória, utilizando uma comunicação personalizada e relevante, são fundamentais para aumentar o lifetime value e gerar engajamento com a marca.

A partir de um levantamento de dados de envios feitos pela Pmweb, foi possível acompanhar o crescimento de 5% na taxa de abertura e 25% na taxa de cliques via mobile, comparado a desktop e tablets de 2015 a 2016.

Esse crescimento é uma declaração do protagonismo do mobile. De acordo com o E-mail Statistics Report, 2014-2018 do Radicati Group, é esperado que até o final de 2018 os usuários de e-mail móvel deverão totalizar mais de 2,2 bilhões a nível global, representando 80% do volume total de usuários. Sim, oitenta por cento.

Powerful data

Enviar e-mails responsivos não é mais um diferencial: é uma necessidade para toda marca que quiser seguir relevante. Os templates responsivos são um guia essencial para um bom desempenho em qualquer campanha e a versatilidade das  opções disponíveis possibilita um nível de personalização que justifica o aumento nos cliques indicados pelas estatísticas. Mas mobile não é tudo a mesma coisa, precisamos saber com quem estamos falando antes de fazer qualquer disparo para a base. De onde meu cliente acessa e quanto tempo tenho para conquistá-lo?

Entre os dispositivos mais utilizados, o iPhone lidera com 60% do volume, sendo a plataforma mais popular no espaço de e-mail móvel, seguido pelo Apple iPad (21%) e Google Android (18%). Os usuários da Apple são os leitores de e-mail rápidos, lendo seus emails por até 3 segundos via Ipad e Iphone. Ou seja: você tem até 3 segundos para se fazer interessante. Entende por quê não há espaço para campanhas não-responsivas?

Falando em tempo, descobrimos que as respostas enviadas por smartphones são 54% mais rápidas do que as enviadas via desktop, apresentando um tempo médio de resposta de apenas 28 minutos, seguido pelo tablet com 57 minutos e, finalmente, desktops com 62. Existe um senso de urgência na interação com o mobile, podendo resultar em maior engajamento e conversão se a mensagem certa for utilizada.

Além disso, ainda que tamanho não seja documento, as respostas enviadas a partir de dispositivos móveis são 60% mais curtas do que as enviadas dos desktops. Respostas via mobile têm um comprimento médio de 20 palavras, seguidas por tablet com 27 palavras e de desktops com 60 palavras (Yahoo).

Em suma: e-mails adaptados à leitura mobile oferecem à marca uma oportunidade única de conectar-se com estes usuários rápidos, interativos e sem tempo a perder. Aproprie-se dos dados fornecidos pela sua base para não cometer os erros que mais aborrecem os usuários: receber e-mails demais (44%), conteúdo não-relevante (37%), experiência ruim com botões (32%) e falta de responsividade (21%). Sua empresa tem ouro no banco de dados. Acione este tesouro para entregar uma verdadeira experiência de valor na caixa de entrada do seu (futuro) cliente.

E não se esqueça, e-mail é uma das ferramentas chave para aumentar a conversão e o engajamento. SMS, push e mídia também devem ser considerados para acompanhar a jornada do consumidor de forma fluida e relevante.